29 novembro, 2011

Eu salto!



- Eu salto! E tu?
No final é tudo um desafio.
Quem vai ter coragem de saltar? Será que um vai sentir medo naquele segundo, vai hesitar?
- Eu salto! - Repetia com o trepidar da adrenalina a pulsar nas veias - Nem que feche os olhos, eu quero saltar!

Toda uma vida decidida num único salto. Lá em baixo um abismo enorme, infindável, era o paraíso sonhado, pronto para os abraçar. Enquanto o seu corpo ao vento, lá no alto, assustado e impaciente, ansiava voar.
Olhava para ele nos olhos fixamente, com aquela força que move rochedos, com a certeza, tão incerta, de que ele a iria acompanhar. Ele saltaria com ela, convencia-se, torcendo-se de pânico por dentro. Ainda assim, preparava-se determinada, chegava-se para a frente com cuidado, e respirava fundo para se mentalizar.

Era «o» salto, o único que podia dar. Um mergulho de cabeça, no escuro imprevisível. No prazer do momento, não imaginava sequer onde iria aterrar.
Mesmo assim arriscava tudo por aquele momento mágico. Um salto a dois, cúmplice do destino, não existiria nesta vida outra oportunidade igual.
Pediu-lhe para saltar de mãos dadas. Chegou-se o seu corpo quente para junto dele e sussurrou-lhe baixinho para nunca a deixar escapar.

No final é tudo um desafio.
Os desejos são os mesmos, mas a capacidade de cada um é diferente para os realizar.
Ela saltou, de olhos fechados, para o vazio imenso. Ele soltou-lhe a mão, não conseguiu saltar.

2 comentários:

miúda disse...

É não saber o que nos espera quando se salta que nos impede muitas vezes de saltar. Por vezes só precisamos de alguém ao lado para saltar connosco, e quando não há ter a coragem de procurar alguém que nos segure a mão sem medos :)
Gosto da tua escrita, pronto. :p
Beijinhos

Closet disse...

oh querida, não vi este teu comentário :( e eu gosto tanto da tua escrita também... e de ti!