28 junho, 2017

da minha vida


é assim que chega o homem da minha vida
de rosto rasgado por um sorriso gigante, os braços compridos a balançar como um pêndulo mágico
pega o meu corpo letárgico e injecta-lhe o licor da vida
assim num sopro de cor e o aroma aveludado com que pergunta "para onde?"
a resposta tarda, não interessa para nada.
é assim o homem da minha vida. 
pega na minha mão e dança, como uma criança, como naquela festa a que nunca iremos juntos. dança e canta palavras sem sentido, e arranca perdida no fundo, uma gargalhada, presa entre o sonho e o sorriso. 
nos olhares que vagueiam partilhados, são agora os lábios que se raspam sedentos, tristes, saboreando sem pressa a ilusão do passado. Queimam.
"Olha!" diz-me num click rápido que carimba o tempo, e eterniza o lugar e os rostos que amam. imprime o inesquecível.
no peito o líquido ainda derrama, transborda o todo que ele ocupa. e sorrio-lhe, e suspiro o desejo que me inflige.
aceno um adeus moribundo, como se erguesse uma ponte entre a distância  dos nossos dias. enquanto o seu corpo desvanece numa miragem repetitiva. mais um vez, desaparece.
e é assim que parte o homem da minha vida.

Sem comentários: