11 maio, 2012

Luto



Talvez as nossas palavras estejam gastas. Ou perderam-se, umas das outras, num qualquer ponto do universo. Talvez tu já não tenhas nada para me dizer, apenas respostas fugazes, para me acalmar e satisfazer. Mas eu não quero respostas, nem mesmo às perguntas dispersas que faço. Porque nem são perguntas, são palavras soltas no ar, como se pensasse alto. Não são respostas que procuro, entre tudo o que te digo, preciso tão somente de conversar um bocado.
Hoje reconheço, vencida, a  morte das nossas palavras, cúmplices, que transbordavam vida. Entre a fantasia e a realidade. Amava as palavras que trocavas comigo, cada instante de segredo, cada momento de desassossego, cada soluço de verdade. Amava-te assim despido, no silêncio das certezas, que estavas tão perto de mim, tão dentro quanto a nossa vontade. Essa intimidade conversada, num discurso directo, sem juízos, regras, medos ou maldades. Do diálogo viciante um no outro, surgiu um silêncio de dúvidas e ambiguidades.
Hoje travo monólogos contigo, a que respondes somente, talvez por cortesia do que restou da amizade. Respondes somente, numa espécie de sacrifício, sem sentires necessidade. Respondes, mas as perguntas já não estão comigo. Não faço planos de aprisionamentos, as palavras são livres, o vento levará as minhas para onde sentirem o aconchego da cumplicidade.


9 comentários:

T. disse...

Love it!

S.o.l. disse...

Tão... até me faltam as palavras :)

Diz-me muito este post.

Closet disse...

Questiono-me seriamente se percebeste mesmo! Anyway... Obrigada :)

Closet disse...

Sol, espero que não seja pelo mesmo motivo que eu... :) um beijo

S.o.l. disse...

A diferença é que não existem respostas nem de cortesia... nem restos de uma amizade que se sabe existir mas com a qual não se consegue lidar.

Stranger! disse...

Gostei muito!

Bj

Closet disse...

Sabes o que acho? As respostas de cortesia são banais, até irritantes e restos de amizade tb não interessam para nada, só para nos ofuscar ...

Closet disse...

Ei Stranger! As nossas palavras nunca se gastam! Kiss

T. disse...

Acho que sim que percebi...Mas deixaste.me a pensar!...