21 novembro, 2011

Sentir



Nem sempre tocar é sentir.
Há sensações que transbordam o simples tacto.
Para sentir é preciso chegar mais perto, mais profundo. Explorar, lentamente, o caminho que conduz à entrega do interior do corpo. Percorre-lo sem pressa, procurando em cada recanto um pedaço de magia e encanto. Depois, tactear a pele suada de desejo, transpirando a cumplicidade.
Sente-se com a alma desamarrada de dúvidas e racionalidade.

2 comentários:

viajanteintemporal disse...

Tenho saudades de te ler sem olhar para as horas.
Gostei muito de sentir este teu post.
Um beijo grande

Closet disse...

"Saudades" é um bicho ingrato... esquece o relógio de vez em quando e fica por perto :)
Beijos