07 abril, 2012

Momentos


«Viver é não pensar nisso»

Tenho para mim, que planear demasiado é estrangular o momento.
É resumi-lo a um tempo, um espaço e acção. Amarra-lo. Sufoca-lo. 
É pensar nos actos antes de agir, nas sensações antes de sentir. É antecipar problemas, erros e discussões, enfrentar o abismo do depois. Sofrer pelo que não aconteceu.
Há uma magia inebriante no acontecer inesperado, na surpresa do instante, no espanto da novidade.
É como correr descontrolado de olhos vendados. Entre o medo do embate, há uma sensação inconsciente que se chama liberdade. Sente-se a vida a fervilhar por dentro, numa ebulição atordoante.
Percebo, com o passar do tempo, que cada vez gosto mais dos momentos surpreendentes, sem regras, sem justificação, sem planos. Gosto de vive-los simplesmente. Não pensar no porquê ou por quanto tempo. Se voltarão a repetir-se ou se os guardarei para sempre na gaveta das memórias. 
Tenho para mim, que os melhores momentos são saboreados na euforia da incerteza, na intensidade do agora e na ignorância absoluta do que existirá amanhã.




2 comentários:

T disse...

A liberdade é viciante, a surpresa fascinante..mas quando tudo se acaba fica a sensação desconfortável do vazio...

Gostei...e da música também, viste-a nalguma montra?

eheh beijo

Closet disse...

Diria que essa sensação faz parte da vida e é por ela que procuramos outros momentos que nos preencham novamente:)
A música é de um novo amigo que me apresentaram!