30 agosto, 2011

Gostava



Gostava de encontrar-te uma noite à beira mar
Espreguiçar-me naquela onda gigante,
A que não chegou a rebentar.
Dançar descalça na areia molhada
Puxar o teu corpo contra o meu
Enfeitiçar-te no silêncio do olhar.
Gostava de sentir-te em mim por um instante,
Ainda que breve, tocar-te.
Cobrir-te de beijos lambuzados
Errar-te, viciar-te
Em palavras descabidas, meladas de manga,
Envoltas de fantasia, onde o sonho revela-se escasso.
Gostava de ser tua, sem paredes ou telhados
Axiomas que estrangulem desejos culpados,
Forasteiros, vagabundos de realidade
Rir-me sem pudor quando dizes
«O amor vai para além de dois corpos»
E falas sobre a fusão das almas.
Eu não compreendo a calma..
Gostava de abalroar o compasso das horas
Impacientes, miseráveis,
Encharcadas de memórias inventadas
Os ponteiros giram velozes, apressados
Porque todos os encontros são rápidos,
Quando a partida tem hora marcada?

2 comentários:

Natacha disse...

Gosto muito do resultado do teu curso de poesia :)
Ando ausente até de mim própria, mas acredita que passo sempre por aqui, porque gosto muito :)

Um beijo grande

Closet disse...

O curso foi... Intenso! E tu? Que é feito da escrita ? Beijinhos