02 janeiro, 2012

Esta noite



"Psssttttt....faz amor comigo". 
Arranca-me do escuro com a violência de um furacão. Arrasta-me. Leva-me para longe. 
Mesmo que me debata contra o teu corpo robusto, que rasgue a tua roupa, arranhe as tuas costas e irrompa nos teus braços, queimando como a lava de um vulcão. Que o suor entre nós dois seja uma mistura ácida de medo, dor e prazer. Porque a loucura não tem limites, nem pudor.
Luta, se quiseres, contra o ímpeto selvagem que me habita. Domina-me, ou aceita-me assim mesmo, nua de raciocínio, envolta em contradições. Em delírio, a pele embriagada transpira a sede de querer sempre mais, insatisfeita, descontrolada tacteia sem rumo. Ninguém possui ou é possuído. É uma guerra inútil, sem vencedor. Entrega-te e eu rendo-me. Fugimos de nós, do mundo. 
É nessa altura que sussurro-te ao ouvido “Vem comigo”. Esta noite quero voar pelo desejo e perder-me nele como por magia. Faz amor comigo.



4 comentários:

Anónimo disse...

Gostei bastante.
É tão bom ler-te. Só tenho pena de me faltar a lareira e a janela aberta para a montanha.
beijinhos
Viajante

Closet disse...

Humm... casa na montanha com lareira? parece-me mesmo bem! Mas depois, muito provavelmente, não terias rede :) No wory, como eu gosto muito de ti, mandava-te cartas com os meus textos, boa? Um beijo grande

S.o.l. disse...

Gostei! :)

Closet disse...

Sol, quem não gosta? :)