25 janeiro, 2012

Racionalidade

Hoje queria fazer uma ode à Racionalidade. Sim, aquela capacidade maravilhosa que nos qualifica como superiores aos demais seres vivos.

Dizem que ela chega para criar a ordem, por vezes tarde, mas sempre austera e imponente.
Estendo-lhe a passadeira vermelha e vejo-a passar por mim, majestosa. Talvez um pouco emproada, arrogante até, por tudo aquilo que consegue arrasar e destruir com a sua lógica e sensatez.

Traz nos ombros largos um manto branco de sabedoria, por cima de um vestido bordado a linhas assertivas de coerência.

Caminha sempre devagar, em passos cautelosos, prudentes. Calculando cada movimento com perícia.

Todos se chegam à frente, fazem-lhe uma vénia, admirando a sua opulência.

Ela acena faustosa, embora o sorriso não lhe transpareça no rosto, que se apresenta hirto e frio.

Nesse momento, aproxima-se dela a correr um rapaz de aspecto humilde e mente pouco brilhante. Espalhando-se aos seus pés, esbaforido, indaga-lhe a pergunta mais absurda, que só alguém com o seu básico intelecto poderia fazer:
- Qual o sabor do beijo?

A Racionalidade olha-o de cima a baixo, espantada. Reflecte um pouco, concentra-se no seu raciocínio. Ora um beijo… um beijo…
Responde-lhe finalmente irritada:
- Um beijo não tem sabor!

O rapaz olha-a com repugnância, afastando-se de imediato com compaixão:
- Lamento-a, nunca a razão poderá viver o prazer de uma emoção.


6 comentários:

T. disse...

De vez em quando gosto de viver a racionalidade...de arrumar tudo no lugar correcto, e não me perder no turbilhão de emoções.
Mas frequentemente, o labirinto é infindável.

Please, diz "Turpentine"...

beijo

Closet disse...

Oh paaa : turpentine turpentine turpentine pffff
Pois eu e a arrumação nunca nos demos muito bem...
Beijos

quanto pesa o vento? disse...

palavras fortes e emotivas.
gostei muito.
abraço.

Closet disse...

Eu e a Racionalidade ainda não decidimos o nosso ponto de encontro...
Obrigada, um abraço

Anónimo disse...

Belo texto!
Acho que me vou mandar ao rio;)

You know what I mean.
Viajante

Closet disse...

ei U!! eu amarrada aos beijos do teu poema e tu aqui na minha racionalidade :)
sim...sei! Beijo e abraço apertado :)