08 janeiro, 2012

Uma vida inteira




É aqui, nesta montanha, que estarei à tua espera. Como sonhavas, numa casa de madeira com um rio lá mais em baixo para pescares.
Acendo a lareira, para que o corpo não arrefeça na ausência do teu. Ponho água a ferver para um chá e escuto o silêncio que me invade da calma lá de fora. É tão poderosa a memória, quando não se quer esquecer. Mas o tempo acalma a ansiedade, suaviza a dor de tudo o que ficou por viver.
Aqui não tenho relógio nem aponto os dias que vão passando numa correria. Quando acordo, abro os olhos  maravilhada com a natureza que me abriga, sei que é dia! Mais logo escurece e as estrelas visitam-me com o seu esplendor, "é noite", já sei de cor.
Nos intervalos minúsculos em que a vida não avança, permito-me imaginar onde estarás nesse momento, a quantos milhares de quilómetros de tempo, questiono-me se ainda virás, se será capaz o destino de nos juntar novamente. Sacudo a cabeça incomodada. O intervalo acaba bruscamente, antes de reparar na pele das mãos engelhada.
Um dia chegarás como combinado. Sentas-te ao meu lado no alpendre, com um cigarro na boca, dizes simplesmente com a tua voz aveludada "o que fazemos para o almoço?". Eu sorrio e finjo que não te esperei todo aquele tempo, uma vida inteira sem perceber. Sento-me ao teu colo como uma criança, enrolo-me nos teus braços que me enlaçam e sussurro ao teu ouvido "o que tu quiseres".



4 comentários:

S.o.l. disse...

Acreditas na possibilidade de "um dia" closet?

Closet disse...

Sol, há coisas em que simplesmente gosto de acreditar, sem pensar :) beijinho

Eu mesma disse...

Lindo Closet. Lindo como todos os teus posts...
Eu gosto de acreditar e acredito que um dia.... "O dia" vai chegar!

Closet disse...

Claro que vai, sem acreditar é que não chegamos lá! Obrigada e um beijinho