21 outubro, 2011

Atropelar



Amar é a capacidade de atropelar e ser atropelado por alguém.
Não ter medo da velocidade, do clima e do piso. Entrar em contra-mão, não respeitar os sinais proibidos e enfrentar todos os cruzamentos que nos apareçam pela frente sem hesitar.
Que amar seja isso mesmo - Cruzar. Sem pânico.
Atravessar de olhos vendados, confiar no instinto. Destruir as linhas rígidas, paralelas eternas que nunca se encontram, os traços contínuos, os separadores de cimento a meio...
Amar é o desafio constante nas veias, são transversais, de braços, de pernas, de desejo. Acidentes provocados com a sede de quem quer entregar-se, sem pensar, ou medo de não receber.
Amar é atropelar e deixar-se atropelar.Voluntariamente.

4 comentários:

Anónimo disse...

A vida ensinou-me que amar é tudo isso que descreves e muito mais... É ter força e coragem para fazermos tudo o que sempre julgamos jamais ser capazes de fazer, dizer palavras que nunca pensamos dizer, fazer tudo o que nunca nos imaginamos capazes...
É um estado de graça, único que infelizmente tem um ciclo de vida...e normalmente curto.
E depois? Depois vem outro amor e revivemos tudo outra vez na expectativa de o próximo ser a pessoa que nos faz feliz, que nos faz rir, que nos aceita conmo somos sem pedir nada em troca. SEMPRE!

Closet disse...

Talvez seja essa a diferença entre "amar" e "amor"... amar é o acto, a loucura, a adrenalina. Amor é a calma do que fica, a permanência, a paciência e a compreensão. O segundo é difícil atingir sem passar pelo primeiro, já o primeiro nem sempre chega ao segundo... E nem sempre queremos o amor, quando é amar que nos traz a emoção, que nos faz sentir vivos... estranha a nossa natureza insatisfeita, não?

miúda disse...

Que amar e viver seja sempre assim, sentir as pernas bambas de caminhar sem medo na linha sem rede por baixo e mesmo assim ser feliz :)

Beijinhooo

Closet disse...

Que seja sim miúda, muita adrenalina para nos lembrar que estamos vivos :)