27 dezembro, 2011

Voar




Passou por mim mais um ano, ou eu passei por ele sem reparar.
A vida vai passando apressada, eu continuo a vê-la lá fora. Ofuscante.Como se fosse um filme que já tivesse visto vezes sem conta, decorado todas as falas e gestos dos actores. Conheço de cor a banda sonora. Irritante, repetitiva, ensurdecedora. Afasto-me assustada.
Todos os meus extremos são redondos, deficientes, inadaptados. Impotente, embato na realidade de vidro baço e percebo, desolada, que não sei voar.
Recolho-me no casulo novamente.
Passou por mim mais um ano, ou eu passei por ele, de olhos fechados, sem reparar.

4 comentários:

quanto pesa o vento? disse...

agradeço as tuas palavras tão simpáticas. fizeste-me sorrir.
desejo que tenhas um 2012 repleto de alegria, saúde e poesia.
obrigado.
abraço.

Closet disse...

sorrir é bom! e não tens de agradecer.
aproveito também para desejar boas entradas em 2012, tudo de bom para ti e, para aquele teu espaço onde habita a partilha, um ano inteiro a brotar poesia, ideias soltas ou simplemente pensamentos vagos.
beijos e abraços

S.o.l. disse...

Estamos em 2012, não deixes que passe outro ano sem que aprendas a voar.

Closet disse...

Sol, bom ano e obrigada por passares aqui, e sim, espero conseguir levantar vôo este ano, vamos ver se me aguento lá em cima!