19 julho, 2011

Dias vazios


Há dias em que vagueio perdida numa espécie de sonambulismo. Como se tirasse férias de mim. Perco-me nas horas, os minutos não existem, nem sei em que dia estou. Perco-me nas conversas que me rodeiam, como ecos que circulam no ar, numa qualquer língua estrangeira.
Perco-me da gente, vultos que passam por mim em corredores escuros, chamam o meu nome e perseguem o meu andar. Caminho a direito por ruas tortas, choco com paredes, tropeço na calçada, arrasto o corpo pesado e dormente sem destino, nem sequer penso onde ou quando vou parar.
Há dias vazios, desprovidos de vontade, esburacados. Dias cansados, esgotados. Que apetece enfiar numa garrafa e atirar ao mar. Desfazer-me deles, de qualquer jeito. Esquece-los, apaga-los. Rebobinar.
Viver todos os dias cansa. Por vezes cansa. O sono poupa-nos um pouco, mas é curto. Espera-nos sempre o acordar. O repicar constante do relógio para mais um dia, e depois outro, e a seguir outro.  Um tique-taque tique-taque infernal. Repetitivo, insistente.
Abro os olhos e suspiro. Sei que há tanto para descobrir lá fora, para sentir e amar. Sim, sei que há tanto de mim nessa manhã que me espera, num simples gesto que me aguarda, na surpresa de um breve olhar.
Mas naquele preciso instante, há o deserto do silêncio, uma estrada imensa que vislumbro cá dentro, sem paixão para a atravessar.

3 comentários:

Ametista disse...

Tantas vezes não queremos acordar.. como preencher o vazio dos dias..? Um sorriso..? :)
Lindo o teu texto, mesmo que triste :(

Um grande beijinho

Closet disse...

Acho que sim, um "Bom dia doce" traz-nos logo um sorriso :)
Tenho saudades dos teus textos :( tenho de falar com a Gerenta da Fábrica para pôr aquilo a funcionar! Precisamos de inspiração!! Beijocas

Ametista disse...

Podes crer. Também tenho imensas saudades da Fábrica.. será que nunca mais vamos voltar às lides?
E eu adorava as tuas histórias!

Uma beijokinha de operária :)