08 julho, 2011

Distância


"E agora?"- pergunta-se - "O que há depois da distância?"
Um muro enorme de cimento baço, imponente.
Um vazio sombrio, um precipício assustador.
Uma escuridão imensa de inexistência, ilusões encaixotadas em prateleiras de uma cave bafienta.
Depois da distância há a necessidade de apagar memórias que carregam proximidade.
Depois da distância? Resta a distância da distância, numa promessa assumida de desamor.

2 comentários:

Ivete disse...

Depois da distância há o tempo que passa... e um dia, tudo será apenas lembrança.Até mesmo a distância!

Beijos

ps: eu disse...

acho que é a isso que eu chamo a distância da distância... um desvanecer de lembranças e recordações, até ao apagão total!
Beijnhos!